O presidente ressaltou que, além de criar estímulos para a industrialização do país, também é prioridade do governo solucionar gargalos de infraestrutura, para agilizar processos nas vendas externas e aquisições das empresas brasileiras. “Não bastam safras recordes. É preciso escoá-las com eficiência. Nossa infraestrutura deve ser condizente com o vigor do setor produtivo. Por isso queremos atrair investimentos para rodovias, portos e aeroportos, e reformulamos nosso modelo de concessões e parcerias, que hoje é mais racional e flexível”, complementou. Presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, defendeu que as reformas contribuem para gerar otimismo no setor, gerando impactos positivos de longo prazo. Castro advertiu que é preciso, contudo, criar estímulos mais imediatos para as empresas exportarem, o que, segundo ele, poderia ser feito com a elevação do índice do Reintegra dos atuais 2% para 5%, alternativa já prevista em lei “Adicionalmente, o programa de […]

O 12º Simpósio de Planos Odontológicos, realizado em São Paulo, com salões lotados e participantes à espera de palestrantes renomados e que trouxeram análises, muitos dados, pesquisas, dicas e cases que vivenciaram em sua experiência profissional no setor.

O cientista político Wanderley Guilherme dos Santos divulgou ontem na internet uma carta aberta sobre a revogação de direitos, na esteira das reformas trabalhista e previdenciária, que está sendo recebida como um manifesto comum a todos aquela que consideram o governo Temer golpista e a serviço de um projeto voltado única e exclusivamente aos interesses da classe dominante.

Há um conjunto de percursos intrincados que une como as duas pontas de um novelo o personagem ficcional Joseph K e o real, Ricardo K.

O Brasil espera ampliar, nas próximas décadas, a participação do setor de serviços na exportação, segundo Marcelo Maia, secretário do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Segundo último levantamento do Banco Central, de 2015, os serviços responderam por 1,91% das exportações brasileiras e 4% das importações.

As recorrentes notícias sobre uma possível intervenção do governo na Oi, que chegaram ao ápice na sexta-feira com os boatos da edição de uma “MP das Concessões”, levaram o mercado a um estado de forte apreensão.

A Medida Provisória, em gestação no Palácio do Planalto, irá autorizar a intervenção do Poder Executivo jamais imaginada por qualquer corrente filosófica.

Se o seu sonho é estudar no exterior, não deixe que financiamento seja um empecilho. Todo final de mês, você confere aqui no Estudar Fora uma curadoria exclusiva das melhores bolsas de estudo que estão encerrando inscrições. Para abril, há oportunidades para cursos curtos, graduação, mestrado e até PhD. Confira a lista e prepare sua candidatura! Bolsa para curso de curta duração na Holanda O programa “De Malas Prontas para a Holanda – Transformadores, Educadores & Inspiradores” oferecer a brasileiros uma bolsa integral para curso de curta duração na Holanda. O benefício inclui o valor do curso, passagens aéreas e hospedagem na cidade escolhida para aqueles que desenvolverem projetos e iniciativas com impacto direto nas áreas de educação, cultura ou tecnologia. As inscrições podem ser feitas até o dia 14/04! Bolsas para cursos de curta duração nos EUA O Latin America Institute of Business (LAIOB), em parceria com o Estudar Fora, está oferecendo […]

A Medida Provisória (MP) que o governo prepara para tornar viável a intervenção na Oi altera a Lei de Falências e, com isso, pode trazer consequências para outras empresas de alguns setores que sejam “concessionárias de serviço público ou de prestadora de serviços de interesse público sujeitas à permissão ou autorização”, conforme o texto da minuta ainda em fase de ajustes.

Pergunta do leitor: Saí do Brasil, em caráter definitivo, no dia 27/10/2016. Enviei o comunicado de saída para a Receita em novembro de 2016. Depois disso, recebi um valor referente a um processo trabalhista que estava em andamento desde 2014. Como declaro tal ganho no Imposto de Renda 2017, visto que a minha declaração, agora, será a de saída definitiva do país? Resposta de Valdir Amorim*: Os rendimentos recebidos após o dia 27/10/2016 não devem ser informados na Declaração de Saída Definitiva do País, porque foram recebidos posteriormente à data do Comunicado de Saída do País. Para isso, informar na ficha “Saída” da Declaração de Saída Definitiva, a data da caracterização da condição de não residente, constante do Comunicado de Saída do País. Os rendimentos decorrentes do processo trabalhista e recebidos em novembro de 2016 devem ser tributados como de não residentes, ou seja, eles estão sujeitos à tributação exclusiva na fonte […]